6 Tristes Verdades que seu Especialista Financeiro Não Divulga … mas Deveria

Os Conflitos Ocultos de Interesse que Seu Especialista Financeiro e a Mídia de Investimento Não Querem que Você Saiba - Revelado!

Principais Ideias

  • A maioria dos especialistas fornecem conselhos imprecisos ou incompletos contaminados com preconceitos para ajudá-los a vender/lucrar.
  • Todos os “especialistas financeiros” estarão 100% errados em algum momento no futuro.
  • Quando você consulta um especialista, sua capacidade de pensar por si mesmo diminui.

Se você acha que o conselho que você recebe do seu especialista financeiro é imparcial, eu tenho uma casa de praia no Acre para te vender.

Você não pode, verdadeiramente, entender o conselho que lhe é dado, até saber como a pessoa é compensada e quais os preconceitos ou as crenças contaminam esse conselho.

O problema é que a maioria das pessoas não entende os muitos problemas inerentes ao negócio de consultoria ou assessoria financeira. Eles, ingenuamente, simplesmente confiam no especialista.

Eles não estão cientes do viés causado pelas posições atuais do portfólio do consultor/assessor, ou por sua necessidade de vender produtos e serviços, ou por qualquer outro interesse próprio que possa tornar seu aconselhamento especializado menos do que imparcial.

Em vez disso, a maioria das pessoas, seguem a mídia de investimentos e ouve os profissionais, com a crença errada de que a experiência, de alguma forma, garante bons resultados.

NÃO GARANTE!

especialista-financeiro

A verdade é que existem muitos problemas que tornam o aconselhamento do seu especialista financeiro menos confiável do que você gostaria:

  1. O especialista financeiro é atormentado por conflitos de interesses;
  2. O especialista financeiro oferece conselhos, geralmente, incompletos ou imprecisos;
  3. O especialista financeiro pode limitar o pensamento independente;
  4. Os especialistas financeiros podem ser desonestos;
  5. Os especialistas financeiros podem ser enganados;
  6. Toda a ideia de um especialista em investimentos é incongruente com a natureza probabilística do investimento.

“Um economista é um especialista que saberá do amanhã por que as coisas que ele previu ontem não aconteceram hoje.”
– Laurence J. Peter

Neste artigo, explicarei as razões exatas pelas quais não há alternativa real, a não ser se tornar seu próprio especialista financeiro.

Sim, investir é complexo e é preciso trabalho para se tornar sua própria autoridade financeira, mas não há outra opção se a liberdade e a segurança financeira são seus objetivos.

A alternativa (confiar em especialistas financeiros) tem muitas falhas para justificar o risco de seu futuro financeiro.

1. Especialistas Financeiros Fornecem Conselhos Incompletos ou Imprecisos

O dicionário Dicio define um expert como:

“Perito ou especialista; pessoa cujo conhecimento excessivo a faz entender ou dominar certa área, assunto, ofício, atividade etc.”

Isso nos leva a crer, intuitivamente, que um especialista deve se destacar em seu campo especializado e fornecer melhores resultados do que um amador.

No entanto, diversas pesquisas comprovam o contrário.

Por exemplo, no dia de Ano Novo em 2002, o venerável Wall Street Journal publicou sua pesquisa com seus economistas para o ano que acabará de chegar. Apesar do fato de a economia já estar fraca por quase um ano, nenhum dos 55 economistas acreditava que um sério declínio estava à frente. Caso não se recorde, o ano de 2002 foi marcado pelo agravamento da crise econômica.

Assim, todos os especialistas estavam errados – 55 de 55 – uma taxa de falha de 100%. Nem um doutorado fornece zero imunidade contra uma opinião falaciosa, quado se trata de um “especialistas”.

“Um especialista é uma pessoa que cometeu todos os erros que podem ser cometidos em um campo muito restrito.”
– Niels Bohr

Este é apenas um dos muitos fatos que documentam a falha da opinião de especialistas.

Você também pode encontrar vários estudos publicados mostrando o desempenho insuficiente de fundos mútuos, que são gerenciados profissionalmente, em comparação com seus primos de índice passivo, que a gestão é “passiva”. O que isso significa é que os especialistas em seleção de ações que administram esses fundos não apresentaram desempenho superior, líquido de taxas e despesas.

Documentei muitos outros estudos que mostram o fracasso de especialistas financeiros nesta postagem aqui. Não faltam pesquisas que comprovem a falibilidade da opinião financeira de especialistas.

Não apenas os especialistas são falíveis, mas muitos dos conselhos financeiros que eles oferecem estão incompletos.

Por exemplo, na próxima vez em que uma palestra ou publicação lhe “sugerir” a compra de suas “mais recentes escolhas de ações”, pergunte a si mesmo:

  • Como você saberá quando vender se as coisas não derem certo?
  • Como você vai saber quando ele está errado?
  • Quando você deve adicionar à posição, se ele estiver certo?
  • Quanto do seu portfólio você deve alocar para essas ótimas escolhas de ações?
  • Quais objetivos de investimento e tolerâncias a riscos são compatíveis com os títulos recomendados?

Ele cobriu tudo isso nos 60 segundos que levou para relatar a lista onde divulgou seus melhores e mais recentes conselhos sobre ações? Ou no post que te levou 15 segundos para ler? Eu acho que não.

Mesmo aqueles com amplo acesso educacional (PHD) não estão imunes à falácia da opinião dos especialistas financeiros. Seja seu próprio especialista!

Dizer o que comprar ou quando comprar é apenas um pequeno pedaço da equação de investimento.

Eu divulgo um método completo de avaliação da qualidade da consultoria de investimento, consulte este artigo. Ele fornece uma solução completa para os problemas que apresento aqui.

2. Os Especialistas Financeiros têm Conflitos de Interesse

Não apenas você corre o risco de receber conselhos financeiros incompletos ou imprecisos de um especialista, mas também é frequentemente contaminado por incentivos financeiros ocultos, causando um conflito de interesses.

Lembre-se sempre de que você não pode julgar a qualidade do conselho de um especialista até conhecer os incentivos financeiros ocultos por trás dele. Considere as seguintes perguntas:

  1. O orientador, pessoalmente, possui uma posição no ativo recomendado?
  2. A empresa de consultoria ou de assessoria mantém um relacionamento comercial com a empresa recomendada?
  3. O consultor ou assessor foi ensinado e treinado por uma empresa com incentivos financeiros para promover determinados produtos de investimento?
  4. De alguma forma, essa pessoa irá ganhar algo se você comprar esse título no lugar de um ativo concorrentes?
  5. E a lista continua …

A história do conflito de interesses em consultoria e assessoria financeira está documentada com vários exemplos, porque o incentivo econômico para enganar é muito alto. Todo mês, surgem novas alegações de incentivos ocultos que influenciam as “dicas de investimento”.

Um caso de grande repercussão do passado foi o de Dan Dorfman. Ele precisou deixar seu cargo de repórter na revista Money e na CNBC, depois de alegações, não comprovadas, de propinas nos bastidores por promover certas ações na mídia (The New York Times Archives).

Outro caso de destaque, foi o acordo com vários estados da Merrill Lynch, no valor de US$ 100 milhões, por supostas irregularidades relacionadas a conflitos de interesse entre os conselhos de investimento que eles deram aos clientes da corretora e seus relacionamentos de banco de investimento com as empresas que eles promoveram.

“Os objetivos da mídia são muito maiores que os conservadores ou liberais. Eles são sobre obter classificações, ganhar dinheiro e fazer histórias fáceis de cobrir. ”
– Al Franken

Mencionei esses dois casos para não escolher Merrill Lynch ou Dorfman, porque esses são apenas dois exemplos de muitos casos semelhantes.

Em vez disso, escolhi os dois porque, ambos eram exemplos de alto perfil, demonstrando como ninguém é muito grande ou confiável o suficiente para estar livre de preconceitos e conflitos de interesses.

Relacionado: Por que Você Precisa de um Plano de Riqueza, Não de um Plano de Financeiro.

Se não se pode confiar em um colunista, internacionalmente famoso, e em um banco de investimentos importante, em quem você pode confiar?

Se você acha que a resposta é o seu corretor de esquina ou seu “influencer” falido, tenha mais cuidado.

Todos os anos, os periódicos financeiros relatam problemas semelhantes com corretores locais acusados ​​de recomendar ações ao público. Isso ocorre porque o cidadão mantém um relacionamento de banco de investimento com a empresa e eles recomendam ações que o analista possui ou a corretora detém uma grande posição.

Infelizmente, no Brasil, muito pouca ou nenhuma fiscalização ocorre.

A lista de recomendações falhas dos corretores de bairro inclui:

  • (Churning) Contas agitadas: é a prática de executar negociações de uma conta de investimento por um vendedor ou corretor para gerar comissão a partir da conta;
  • Recomendação de produtos de investimento inadequados;
  • Promovendo produtos de alto custo e taxas quando produtos de baixo custo apresentam um desempenho equivalente;
  • e muito mais.

Para uma análise completa dos conflitos de interesse em consultoria financeira resultantes de incentivos de compensação e como se proteger, consulte este artigo (aqui).

Nenhum especialista financeiro é muito grande ou confiável o suficiente para estar livre de preconceitos e conflitos de interesse.

Além disso, alguns conflitos de interesse dos especialistas financeiros não são imediatamente óbvios. O professor universitário, aparentemente imparcial, que apela ao fim do capitalismo, pode ter um incentivo oculto para oferecer manchetes atraentes para promover seu último livro à lista de mais vendidos.

Economistas de alto nível, cujos salários são apoiados por instituições bancárias e financeiras, podem ser reticentes em dar uma avaliação honesta sobre a seriedade da última crise financeira e como isso afetará as ações bancárias.

Às vezes, o especialista pode nem estar ciente de como sua opinião positiva sobre uma ação é amplamente afetada pelo fato de ele já ser o proprietário e estar emocionalmente comprometido com a posição. Este, talvez, seja o tipo mais recorrente de preconceito dos especialistas.

De fato, não importa o quão proeminente o especialista financeiro ou sua linhagem seja – todos eles têm preconceitos e conflitos de interesse.

Quando Warren Buffett proferiu suas palavras apaziguadoras durante o auge da crise bancária de 2008 e publicou anúncios em páginas inteiras, devemos lembrar que ele tinha 300 milhões de ações da Wells Fargo.

Quando Bill Gross fez lobby com o governo dos EUA em 2008 para socorrer Fannie Mae e Freddie Mac, foi relatado que 61% das participações da PIMCO estavam investidas em títulos garantidos por hipotecas.

Esses dois especialistas respeitados (internacionalmente) e de alto perfil estavam oferecendo sua infinita sabedoria para o nosso bem maior, ou estavam usando a mídia para influenciar a opinião pública em um esforço para defender seus portfólios?

A verdade é que o setor de serviços financeiros como um todo – que inclui todos os bancos, corretoras, corretoras de imóveis, credores e tudo mais – tem um enorme interesse em manter sua confiança no sistema de investimentos com o qual eles ganham a vida.

Todos eles têm produtos para vender e sairão do mercado se você não confiar mais neles. Não importa o quão inteligentes, educados, instruídos e confiáveis ​​possam parecer, todos ganham a vida vendendo a você um produto ou serviço financeiro. Todos eles são inerentemente tendenciosos, portanto, cuidado com o que compra.

Paradoxal, é perceber vendedores de produtos financeiros condenar outros vendedores de produtos financeiros.

“Se os especialistas do mercado de ações fossem tão especialistas, eles estariam comprando ações, não vendendo conselhos.”
– Norman Augustine

Você seria sábio em se perguntar sempre essas duas coisas ao receber uma “dica” de onde investir:

  • “Qual é a motivação dessa pessoa?”
  • “Como ele é pago?”

Faça essas perguntas se a fonte é seu corretor local, um grande nome midiático, um boletim de investimentos, um periódico financeiro ou mesmo este site.

Lembre-se que você não pode julgar a qualidade do conselho até saber como os bolsos dos especialistas financeiros estão alinhados.

Não se permita ser indevidamente influenciado por especialistas em finanças sem antes considerar as inúmeras fontes potenciais de preconceito e conflitos de interesses que podem conduzir suas declarações e ações públicas.

Para fazer isso, você deve desenvolver algum nível de habilidade financeira.

Vale a pena conhecer as fontes de viés e conflito de interesses que motivam os atos dos especialistas financeiros.

3. Consultoria (ou Assessoria) Financeira Reduz seu Pensamento Crítico

Outro motivo para se tornar seu próprio especialista financeiro, é evitar o impacto entorpecedor desse serviço em seu próprio pensamento crítico.

Um estudo recente liderado por Gregory Berns e discutido na Wired, Discover e CNN mostrou que, quando os sujeitos da pesquisa recebiam opiniões de especialistas, eles deixavam de usar áreas do cérebro associadas ao pensamento crítico.

“É quase como se o cérebro parasse de tentar decidir por conta própria”, disse Gregory durante uma entrevista à CNN ao discutir esse efeito. Isso pode ser extraordinariamente perigoso ao investir.

Relacionado: 5 Erros de Novato no Planejamento Financeiro que Custam Caro (e o que fazer em vez disso!) Explicado em 5 vídeo aulas gratuitas

Um exemplo, durante a pesquisa, os estudantes universitários foram convidados a fazer uma escolha financeira entre um pagamento garantido ou uma alternativa mais arriscada, com um pagamento mais alto.

Um grupo foi deixado para resolver o problema por conta própria, enquanto o outro grupo recebeu conselhos falsos de um especialista financeiro (um economista de autoridade que aconselha o Federal Reserve – Banco central  dos EUA).

Os estudantes que pensavam por si mesmos raciocinavam as probabilidades usando áreas de pensamento crítico de seus cérebros, enquanto o grupo que recebia “conselhos de especialistas” tendia a segui-los enquanto suprimia o pensamento crítico. Surpreendente! Não?!

“Muitas pessoas acham que estão pensando quando estão apenas reorganizando seus preconceitos.”
– William James

O que torna este estudo tão importante é que a maioria das pessoas acredita que utiliza os conselhos de especialistas com seu próprio pensamento crítico para tomar uma decisão bem fundamentada, mas Gregory defende que não.

“Normalmente, o cérebro humano usa um conjunto específico de regiões para descobrir as compensações entre risco e retorno, mas quando um especialista oferece conselhos sobre como tomar essas decisões, descobrimos que a atividade nessas regiões diminui”
– Gregory Berns

Em outras palavras, tendemos para as opiniões dos especialistas. Isso faz sentido, porque acreditamos que eles sabem mais do que nós. Seria lógico se o conselho de investimento fosse confiável. Infelizmente, por todos os motivos citados neste artigo, isso não é verdade.

Portanto, é essencial que você evite o problema de suprimir seu pensamento crítico ao preferi a opinião de um especialista, tornando-se seu próprio especialista financeiro. Você deve aprender a confiar em seu julgamento e tomar a sua própria decisão.

Nunca sufoque seu pensamento crítico ou aceite – cegamente – a opinião de especialistas.

4. Nem Todos os Especialistas em Finanças são Honestos

Como se o viés, a imprecisão e os conflitos de interesses não fossem suficientes, também devemos considerar o potencial de desonestidade dos especialistas em finanças. Por mais que gostemos de pensar de uma outra forma, nem todas as pessoas são honestas – e isso inclui os especialistas.

Isso não quer dizer que todos sejam desonestos. Não sou alarmistas aqui no Rota Financeira. No entanto, você não deve confiar cegamente em alguém porque é famoso, veste um terno, trabalha para uma empresa respeitável ou parece ser confiável por qualquer que seja o outro motivo.

Você deve confiar em seus próprios conhecimentos, completar sua devida diligencia e investigar mais.

Um exemplo de um caso verídico…

Anualmente é divulga uma lista com os 1000 principais consultores e assessores financeiros do pais por um grande Jornal. Eles são um grande canal de comunicação e você, a principio, pensaria que, certamente, eles fariam uma lista apenas com pessoas respeitáveis.

A Empresa X decidiu fazer sua própria investigação dessa lista, analisando os nomes da sua cidade.

Bom… A avaliação encontrou alguns nomes desta lista com várias reclamações de disputas – judicial – de clientes, incluindo uma por perdas de mais de 3 MI de reais e outras por declarações falsas.

Estes são os principais especialistas financeiros? E você confia seu dinheiro a eles?

Nota do Editor: Todos os links e nomes foram removidos dessa sessão, por orientação jurídica.

O fato, é que:

Você deve construir sua própria opinião. Você não pode confiar nas principais publicações ou especialistas quando eles possuem conflitos de interesse.

Muitas pessoas fazem isso porque nunca construirão suas próprias opiniões, portanto não têm ideia de quais problemas existem.

Relacionado: Como o Seu Assessor Financeiro Recebe 75% de Sua Renda de Aposentadoria (… ou mais!) Vídeo Aula Gratuita.

Um outro, autoproclamado, especialista financeiro americano, John T. Reed, que não deixa de ter a sua própria parte de controvérsia, reuniu uma lista interessante de especialistas em imóveis, que vou usar, parcialmente, para ilustrar melhor o por que você deve sempre fazer a seu própria, e devida, analise antes de confiar na consultoria ou assessoria financeira especializada.

Observe que os autores listados abaixo alcançaram notoriedade e fama durante o boom imobiliário anterior, supostamente ensinando como ter bons resultados:

  • Albert Lowry, autor de “Como você pode se tornar financeiramente independente investindo em imóveis”, declarou a falência em 1987
  • Wade Cook, autor de “Como construir uma máquina de fazer dinheiro imobiliário” e vários outros títulos para ganhar dinheiro, declarou falência em 1987 e 2003;
  • Charles Givens, autor de “Riqueza sem risco”, foi processado com êxito por um ex-cliente por maus-tratos. consultoria financeira e entrou com pedido de falência em 1995;
  • Ed Beckley, autor de “Million Dollar Secrets”, declarou falência em 1987 e foi condenado a prisão federal por fraude eletrônica;
  • Robert Allen, autor de “Nothing Down” e “Creating Wealth”, declarou falência em maio de 1996;
  • E a lista segue…

Fique esperto: Alguns desses autores, seguem “sugeridos” como leitura, mesmo aqui no Brasil.

Hmmm, algo simplesmente não parece certo se os caras que ensinam como construir riqueza estão declarando falência. A contradição, mina a confiabilidade dos conselhos fornecidos.

Além disso, é importante lembrar que esta é apenas uma lista parcial. Escolhi apenas os autores de grandes nomes, mas a lista real de autores com grandes problemas financeiros e jurídicos é muito, muito mais longa.

A lição é: Só porque alguém tem um livro ou aparece na mídia como um especialista não significa que eles sabem do que estão falando ou podem ser confiáveis.

Por outro lado, isso não significa que todos os especialistas financeiros que escrevem livros sejam trapaceiros.

O que isso significa é que você deve sempre construir a sua própria opinião.

A sua única solução é se tornar seu próprio especialista financeiro. Você nunca vai pagar a alguém o suficiente para se preocupar mais com seu dinheiro do que com o dele próprio.

Tome cuidado!!

5. O Especialista Financeiro, Como um Consenso, também é Perigoso

Muitos de vocês podem estar pensando: “André, está tudo certo, mas, meu corretor é um cara honesto e nada disso se aplica à minha situação”.

Provavelmente isso é verdade – a maioria dos consultores e assessores financeiros são pessoas honestas tentando fornecer um serviço genuinamente valioso. Mas isso não significa que você deva confiar seu futuro financeiro a eles.

O problema é que seu consultor provavelmente está pregando a mais recente sabedoria de consenso de Wall Street/BOVESPA para o Buy and Hold (comprar e manter) a longo prazo. Essa se tornou a verdade universalmente aceita, adotada por quase todos os consultores financeiros – incluindo o seu, provavelmente. Para entender mais sobre os mitos do Buy & Hold, consulte este artigo.

Tornou-se a “vaca sagrada” do mundo financeiro e é considerada irrepreensível. A maioria das pessoas acredita que aderir às práticas padrão dos especialistas comprando e mantendo um portfólio diversificado é a coisa certa a fazer.

Seguir cegamente a tendência da estratégia “padrão” de investimentos nem sempre é do seu interesse.

Acredite ou não, eu discordo. Na minha opinião, o Buy and Hold é apropriado apenas para certos investidores que entendem e aceitam os riscos extraordinariamente alto e/ou baixo para recompensar os índices inerentes a essa estratégia.

Relacionado: Por que Você Precisa de um Plano de Riqueza, Não de um Plano de Financeiro.

Com base em evidências históricas, um investidor passivo de Buy and Hold deve esperar perdas ocasionais de 50% para obter retornos compostos de um dígito, líquidos da inflação.

Me intriga notar o por que isso foi aceito como a “melhor” solução de investimento para todos os investidores e a todos os momentos. Isso não faz sentido!

Com isso dito, no entanto, a Buy and Hold a longo prazo pode ser uma estratégia de investimento útil quando as avaliações de mercado se aproximam de níveis baixos.

Em outras palavras, o Buy and Hold não é a estratégia de investimento “tamanho único” que muitos consultores financeiros pregam. Em vez disso, é uma estratégia de investimento de casos especiais que deve ser usada apenas quando apropriado.

Observe: Esta posição é diametralmente oposta à opinião consensualmente fornecida pela grande maioria dos recursos que lhe oferece aconselhamento financeiro.

“Grandes espíritos sempre encontraram oposição violenta das mediocridades. Este último não consegue entender quando um homem não se submete a preconceitos hereditários, mas usa honestamente e corajosamente sua inteligência e cumpre o dever de expressar os resultados de seu pensamento de forma clara. ”
– Albert Einstein

Pode ser tentador me criticar por discordar do consenso, mas antes de redigir essa crítica, saiba que já avaliei e a visão de consenso e várias vezes ela estava certa. Confere o artigo abaixo.

Por exemplo, a maioria dos especialistas concordou até 2006-2007 que o setor imobiliário “nunca cai”. Os dados eram claros e a conclusão era óbvia para todo mundo ver, até que o colapso imobiliário começou em 2007.

Quem descordou e vendeu seus investimentos imobiliários em 2006. Transformou a vaca sagrada em hambúrguer.

Os especialistas financeiros também empilharam a onda, durante a corrida dos anos 90 nos estoques de tecnologia, declarando uma “nova era” em que velhos padrões de avaliação não faziam mais sentido. O declínio subsequente causou a muitos investidores em tecnologia perdas de 70 a 80%.

Você pode acreditar que o Buy and Hold permanecerá onde os outros pontos de vista falharam, mas eu discordo. São esses conceitos atual que se provaram errados no futuro, assim como as “verdades” anteriores.

O maior problema do Buy and Hold não se dá em sua fundamentação de longo prazo, e sim, em assumir que essa é a unica estratégia viável para se construir a Liberdade Financeira e, ainda pior, que ela é um modelo que serve para todos, por tempo indeterminado.

Em 1935, Gerald Loeb publicou o livro “Your Battle for Investment Survival”. (Você pode baixá-lo gratuitamente na internet.) A mensagem deste livro refletia a visão de consenso do setor de investimentos após a Grande Depressão, que era diametralmente oposta à visão de consenso de hoje.

Você pode imaginar alguém defendendo o Buy and Hold em 1935 depois que os principais índices sofreram um declínio superior a 80%? A realidade é que essa visão de hoje é tão fundamentalmente falha quanto as visões anteriores e terá o mesmo destino. A visão de consenso é sempre um reflexo do período de mercado que a precedeu e terá pouca relevância para o período de mercado que a segue.

O motivo para os pontos de vista do consenso flutuar (ir e vir) é porque a maioria dos especialistas financeiros não pensam profundamente em dinheiro e investimento; são empresários práticos. Eles vendem o que as pessoas pensam que querem, não o que precisam.

É por isso que os fundos mútuos anunciam seus maiores resultados. Atrai vendas, mesmo que todos os estudos anteriores mostrem que os fundos com melhor desempenho tendem a apresentar um desempenho inferior no futuro. É um negócio prático, mas é um investimento ruim.

Os seres humanos são animais sociais com propensão a pastorear. O fato de todos acreditarem que uma ideia é verdadeira converte essa ideia em verdade através do mecanismo de prova social. Torna-se a visão de consenso, e apenas um tolo (como eu) se oporia a essa visão de consenso.

Um empresário prático se alinhará com essa “verdade” porque é mais fácil fazer a venda quando o cliente já acredita no que você está dizendo, mesmo que esteja errado. Esse é o poder do ponto de vista do consenso.

“Poucas pessoas são capazes de expressar opiniões de equanimidade que diferem dos preconceitos de seu ambiente social. A maioria das pessoas são incapazes de formar essas opiniões. ”
– Albert Einstein

É por isso que quase todos os planejadores e corretores financeiros recomendam que você possua um portfólio diversificado de alocação de ativos para a compra e manutenção – é o ponto de vista do consenso. O empresário prático sabe que é fácil vender. Afinal, todo mundo sabe que é uma “verdade de investimento” para além da censura, então quem vai discutir com você?

Se seu portfólio perde dinheiro, foi apenas um revés infeliz e temporário. Uma breve aberração. O consultor não fez nada de errado, porque todo mundo sabe que “Buy and Hold + um portfólio diversificado” é a coisa certa a fazer … Certo?

O empresário prático vende o que é mais lucrativo para os negócios, mesmo que não seja mais lucrativo para os clientes. Esta não é uma teoria diabólica da conspiração, é a maneira como os negócios funcionam.

A maioria dos consultores e assessores financeiros estão realmente cuidando de pessoas que acreditam plenamente que o que estão fazendo é a coisa certa.

Eles têm grandes corações e são tão honestos quanto o dia é longo.

No entanto, eles também acreditam que a visão de consenso está correta (para todos, o tempo todo e eternamente), e esse é o problema. Eles não são pessoas más e não são desonestos; eles são apenas parte do consenso e sua opinião de especialista contribui para esse consenso.

“A opinião publica não existe”
– Pierre Bourdieu

Os consultores e assessores financeiros podem ser 100% honestos, mas se suas crenças são consistentes com a visão de consenso, isso é um problema.

Deixe-me repetir esse ponto, mais uma vez, porque é essencial entender. A maioria dos consultores e assessores financeiros são honestos, cuidando das pessoas com o seu melhor nível possível, com 100% de integridade para atender às suas necessidades. O problema é que isso não significa nada quando suas crenças são consistentes com o ponto de vista limitado.

O motivo que o ponto de vista de consenso nunca pode ser a estratégia de investimento mais rentável para o cliente, é porque os preços de segurança são determinados por oferta e demanda

Relacionado: Como o Seu Assessor Financeiro Recebe 75% de Sua Renda de Aposentadoria (… ou mais!) Vídeo Aula Gratuita.

Qualquer ponto de vista consensual deve, por definição, representar um pico de demanda e preços “premium” – exatamente o oposto de quando um investidor inteligente deve comprar.

O problema é que opiniões lucrativas, por definição, serão impopulares devido à natureza da oferta e demanda. Não é isso que empresários práticos que procuram maximizar os lucros dos negócios (em oposição aos lucros do seu portfólio) tentarão vender.

Em termos simples, o investimento lucrativo exige, ocasionalmente, contrariar a opinião do consenso quando se torna extremo. No entanto, um negócio de assessoria de investimento rentável requer suporte da opinião de consenso.

Ainda me lembro de quando vendi minhas ações no final de 2019 e paguei os impostos sobre os ganhos, porque queria gastar o dinheiro em vez de reinvestir.

Surpreendentemente, ninguém com quem dividir esse feito, concordou comigo, e muitos “especialistas” chegaram ao ponto de me dizer que minha decisão foi “burra”. Afinal, a visão de consenso naquela época era que bolsa estava em um boom e não mostrava sinais de fim.

Da mesma forma, lembro-me de uma conversa com um de meus clientes no inicio de 2020 em questões de gerenciamento de risco, porque todo o seu patrimônio foi investido em ações do mesmo setor. Minha mensagem foi que era necessário desenvolver uma estratégia de vendas, para gerenciar riscos. Eu estava completamente fora de sincronia com a visão de consenso, mas também correto.

Sua resposta foi romper com os meus serviços e, infelizmente, perdeu quase tudo no declínio do mercado que se seguiu. Tal é o apelo da sirene de consenso, com a opinião de especialistas.

“O grande inimigo da verdade muitas vezes não é a mentira – deliberada, artificial e desonesta -, mas o mito, persistente, persuasivo e irrealista. A crença nos mitos permite o conforto da opinião sem o desconforto do pensamento.”
– John F. Kennedy

Você é inundado todos os dias pelo ponto de vista consensual dos especialistas em finanças. É quase impossível escapar do ataque de opinião mundana, superficial e de consenso, disfarçada de conhecimento financeiro.

A visão de consenso e o instinto natural de pastoreio dos seres humanos é um fator perigoso que afeta, negativamente, a qualidade dos conselhos oferecidos até mesmo pelos especialistas financeiros mais honestos, atenciosos e com as melhores intenções.

Mesmo que passem por todos os outros obstáculos listados neste artigo, raramente ficam imunes às necessidades práticas dos negócios e ao ponto de vista do consenso. É um enigma difícil para os melhores especialistas escaparem.

Novamente, sua única solução é desenvolver seu próprio ponto de vista de investimento e sempre construir sua própria opinião dos especialistas financeiros que você escolher empregar.

Em algum momento, você deve se tornar seu próprio especialista financeiro. Não há NENHUMA alternativa se a segurança financeira for seu objetivo.

Sempre questione o ponto de vista do consenso e desenvolva sua própria opinião para obter segurança financeira.

“Minha definição de especialista, em qualquer área, é uma pessoa que sabe o suficiente sobre o que realmente está acontecendo para ter medo” – P.J. Plauger

6. Especialistas Financeiros são Sempre Falíveis – independente de seu Histórico e Conhecimento

Por favor, tenha claro que meu objetivo não é insultar nenhum especialista financeiro ou expor a industria dos conselhos financeiros.

Isso não ajuda a ninguém – muito menos a mim, já que faço parte do grupo sobre o qual estou falando. Eles cometem erros; Eu cometo erros; Somos todos falíveis.

“A educação é um método pelo qual se adquire um grau mais alto de preconceitos.”
– Laurence J. Peter

O que estou tentando fazer é educá-lo sobre os problemas fundamentais subjacentes ao negócio de consultoria/assessoria financeira e conscientizá-lo de que nenhum especialista é imune a esses problemas – inclusive eu.

Estou tentando ajudá-lo a entender por que não há escolha prudente a ser tomada, a não ser se tornar seu próprio especialista financeiro, fazer sua própria analise de investimento e tomar suas próprias decisões independentes de onde, como, quanto e porque investir.

Em outras palavras, o objetivo deste artigo não é insultar nenhum especialistas financeiros, mas usar os canais inerentes ao sistema de aconselhamento financeiro para motivá-lo a parar de confiar – exclusivamente – nos outros e começar a se educar.

Não existe um caminho fácil para lucros consistentes de investimentos. Você precisa se dedicar ao trabalho e se educar.

Gostaria de dizer que há uma alternativa viável para se tornar seu próprio especialista financeiro, que é mais fácil e requer menos trabalho de sua parte, mas eu estaria mentindo.

Acredite, se essa alternativa existisse, eu mesmo usaria. Sempre prefiro soluções mais fáceis quando sensatas, verdadeiras e disponíveis. Infelizmente, não existe uma solução tão fácil. Não há caminho mágico para resultados consistentes de investimentos.

A experiência me ensinou que o caminho para o sucesso financeiro requer investimento independente, o que significa que devo me educar continuamente para melhorar meu processo de decisão de investimento. Não é o caminho mais fácil, mas acredito que seja o caminho mais eficaz, seguro e pessoalmente recompensador.

Se você ainda não está convencido de que não se pode confiar em especialistas financeiros para fornecer um futuro financeiro saudável, esse último ponto deve ser o mais importante para o caixão.

Não importa o quão sábio, honesto e educado seja seu consultor/assessor de investimentos, você nunca pode depender completamente de seus conselhos, porque investir é um processo probabilístico onde a certeza é impossível.

O especialista escolhido estará errado em algum momento no futuro com 100% de certeza.

Em outras palavras, da próxima vez que você assistir a um especialista financeiro proclamar com segurança como sua “melhor e mais recente escolhas de ações” superará o mercado, lembre-se de que não há como ele saber, com algo próximo do nível de uma certeza, se o que ele está projetando é verdade. É impossível!

A razão é porque investir é, na melhor das hipóteses, um resultado probabilístico. Ninguém sabe com certeza o que acontecerá no futuro, porque o futuro é incognoscível.

Existem muitas variáveis ​​e contribuições que afetam o resultado final – muitas das quais ainda precisam ocorrer no futuro.

Todo investimento é uma aposta em um futuro incognoscível, então a certeza se torna 100% impossível.

Todo investimento é, na melhor das hipóteses, apenas uma probabilidade, e toda aposta de especialista sempre pode estar errada, incluindo a minha.

Podemos optar por acreditar que a educação e a experiência dos especialistas financeiros aumentam a certeza e a precisão de suas opiniões, mas temos poucas evidências para apoiar essa opinião e muitas evidências que a contradizem.

O termo “especialista” implica precisão de opinião, mas a própria natureza de investir em um futuro incognoscível nega essa possibilidade.

A verdade é que um “especialista em investimentos” é um oxímoro como “inteligência do governo”. Nunca pode haver certeza no investimento; portanto, ninguém pode realmente ser considerado um especialista – no verdadeiro sentido da palavra – e isso se aplica para mim.

É por isso que sempre defendo o gerenciamento de riscos como a disciplina de investimento mais importante. Você pode dar palpites, mas no final todo mundo uma vez erra. Você deve gerenciar o risco para controlar as perdas quando o inevitável ocorrer.

É também por isso que meu primeiro critério para julgar o conselho financeiro de alguém é a qualidade de sua disciplina de gerenciamento de riscos.

O gerenciamento adequado de seus riscos permite controlar perdas quando o inevitável ocorre

Resumo

A infeliz verdade é que os conselhos dispensados ​​por especialistas financeiros enfrentam uma montanha de problemas:

  1. Os especialistas financeiros têm conflitos de interesses
  2. Os especialistas financeiros fornecem conselhos incompletos ou imprecisos
  3. A consultoria limita suas habilidades de pensamento crítico
  4. Especialistas financeiros podem ser desonestos
  5. Especialistas financeiros podem se iludir
  6. Toda a ideia de um “especialista financeiro” é incongruente com a natureza probabilística do investimento

Quando você soma esses seis fatores, cria um enigma inevitável do como nenhum especialista em finanças é imune, e você também não.

No entanto, todos os dias, alguém não pensa duas vezes antes de entregar todas as suas economias para um cara de terno baseado em pouco mais que uma referência, um sapato brilhante e uma impressão padronizada de computador, cheia de gráficos e recomendações de analistas.

Por que as pessoas fazem isso?

Parece razoável acreditar que um especialista treinado deve fazer melhor do que você. Você quer acreditar que eles sabem algo que você não sabe, que esses especialistas operam em um mundo confiante de certeza diferente de sua própria confusão e incerteza.

Afinal, eles não possuem conexões com recursos que você nunca terá? Eles não são especialistas com conhecimento e treinamento?

Alguém tem que ser especialista em tudo isso e saber o que está fazendo! Certo?! Então, entregamos a responsabilidade de nosso dinheiro a especialistas, na esperança de que eles tenham mais conhecimento do que nós.

Quando fazemos isso, esquecemos os conflitos de interesses, preconceitos e outros problemas mencionados neste artigo que prejudicam o aconselhamento financeiro especializado que você recebe e diminuem o valor desse conhecimento especializado.

Esquecemos que não é possível pagar a alguém o suficiente para se preocupar mais com o seu dinheiro do que com o dele.

Não faz sentido confiar nos especialistas, quando você conhece melhor.

“Onde os fatos são poucos, os especialistas são muitos.”
– Donald R. Gannon

Minha própria opinião é que realmente não existe um “especialista” em investimento. Certamente, algumas pessoas têm mais treinamento e experiência do que outras, mas investir, é diferente de outras áreas.

Investir é um processo probabilístico de colocar capital em risco em um futuro incognoscível; Portanto, é antitético a todo o conceito de especialização.

De fato, o que você realmente encontra com os principais especialistas em investimentos – como comprovado por seus históricos – é humildade por sua ignorância inerente e conseqüente dependência de disciplinas de gerenciamento de riscos para proteger e aumentar o capital.

Sim, investir é complexo.

Sim, é preciso trabalho para aprender sobre estratégia de investimento.

Infelizmente, se seu objetivo é a segurança financeira, você não tem escolha. Você deve assumir a responsabilidade por sua vida financeira.

A alternativa – confiar nos especialistas – é repleta de problemas demais para ser uma escolha prudente.

Essa é a mensagem deste artigo em poucas palavras.

Pense por você mesmo. Eduque-se. Seja independente. Esse é o caminho de um investidor bem-sucedido na jornada para a liberdade financeira.

Espero que seja o seu caminho também.

Se você não pode confiar nas orientações externas sobre investimento, deve confiar em si mesmo

Publicidade do Rota!

Gostaria de escrever um artigo inteiro, na posição de um especialista financeiro que discute todos os conflitos de interesse em conselhos, sem divulgar o meu.

Como afirmado no artigo, a chave para discernir os vieses e conflitos de um especialista é entender como seus bolsos estão alinhados. Como ele ganha dinheiro?

Minha principal fonte de renda são meus investimentos e minha (outra) empresa, não este negócio. No entanto, esse negócio fornece renda adicional com a venda de serviços de treinamento e cursos financeiro (Mentoring/Coaching).

O que isso significa para você é que, meu portfólio de investimentos influenciará meus conselhos financeiros, pois as crenças expressas em meus textos serão congruentes com as posições em meu portfólio. Francamente, eu estou bem com esse viés, porque alinha nossos melhores interesses mútuos.

Em relação a este site, tenho um viés óbvio para vender meus produtos e serviços de educação financeira, pois é assim que sou pago. Não há mistério, tampouco tento esconder. Você pode aprender mais sobre meus pontos de vista sobre este assunto neste artigo.

Observe que me esforcei ao máximo para não ter conflitos de interesse ocultos. Opto por não vender produtos ou serviços de investimento nessa plataforma, aqui é um espaço para a educação financeira.

Tudo o que vendo no Rota Financeira é educação. Acredito que a educação sobre os investimentos e as vendas de produtos de investimentos devem ser mantidas separadas. Só assim, é possível minimizar o conflito de interesses.

Espero que ajude.

Rota-Financeira-illustration_18

"Descubra o processo abrangente de planejamento de riqueza comprovado em mais de 15 anos de pesquisas que lhe dará total confiança em seu futuro financeiro"

  • Construa um plano de ação passo a passo para alcançar a independência financeira - totalmente personalizado para você.
  • Como viver para a realização agora, enquanto constrói riqueza para o futuro.
  • Não há mais procrastinação. Sem mais confusão. Apenas progresso e clareza.

O Planejamento de Expectativas de Riqueza mostrará como criar um roteiro financeiro para o resto de sua vida e fornecerá todas as ferramentas de que você precisa para segui-lo.

Saiba Mais ...

Rota-Financeira-illustration_05

Assine seu Kit Inicial de Construção de Riqueza

5 Aulas: Erros Caros de Planejamento Financeiro

Recursos: E-Books, Exercícios e Muito Mais

Ferramentas e Dicas Não Encontradas Neste Site

You have Successfully Subscribed!

Pin It on Pinterest